Ah, o verão! Época preferida do ano para alguns, sinônimo de transtornos e sofrimentos para outros. Se o calor é agradável ou não, é sempre uma questão muito polêmica. Mas uma coisa é fato: o estereótipo de que na Europa faz frio a maior parte do ano nem sempre é verdadeiro.

Pelo menos aqui no Sul da Alemanha. Como já falamos no post sobre o pólen, os primeiros dias quentes deste ano, com temperaturas chegando a 27°C, aconteceram em abril, ainda no início da primavera. De lá para cá, só aumentou. Junho foi um mês majoritariamente quente e julho bateu recordes, marcando 37°C em Frankfurt e 39°C em Bernburg, no dia 31.1

Agora, estamos experenciando uma das mais graves ondas de calor da história da Europa. Estas ondas de calor são cada vez mais frequentes e cada vez mais intensas, como é possível ver nesta outra reportagem, de agosto do ano passado.

Por isso, é importante se preparar e tomar certos cuidados.

1. Beba muita água.

O tempo aqui em Stuttgart geralmente já é bem seco. E nas últimas semanas, isso se agravou. Quase não está chovendo, temos céu limpo e sol forte quase todos os dias, praticamente o dia todo. Lembrando que nessa época do ano, nesta latitude, o sol nasce às 5h30 e só se põe às 21h30. No dia mais longo do ano, 21 de junho, a luz do dia dura das 4h30 às 22h30. Ou seja, é muito tempo de sol que, somado à baixíssima umidade do ar, aumenta o perigo de desidratação.

Portanto, beba bastante água. E se você prefere água fria ou gelada, tenha sempre garrafas ou jarras na geladeira, pois o longo período de exposição do solo e das casas ao sol faz com que os encanamentos aqueçam e a água, às vezes, pode chegar morna às torneiras.2

Três tipos de recipientes diferentes, cheios de água (garrafa PET, garrafa fitness, copo).
Para evitar a desidratação, beba muita água.

2. Abra portas e janelas nos horários certos.

As construções na Alemanha costumam ser muito bem termicamente isoladas, por conta dos rigorosos invernos. Isto significa que elas são preparadas para manter o interior aquecido, o que não é nada bom nos longos e ensolarados dias de verão. Mas, com alguns macetes, é possível contornar este pequeno problema.

A hora do dia com tempo mais fresquinho é logo de manhã, bem cedinho. Então, assim que acordar, abra todas as portas e janelas da casa para deixar este arzinho agradável entrar. Porém, logo que começar a esquentar, feche tudo. A maioria das casas e escritórios aqui têm persianas pelo lado de fora. Deixá-las fechadas durante as horas mais quentes do dia vai ajudar a evitar o efeito de estufa causado pelos vidros duplos.

Portas de vidro, com persianas fechadas por fora, um relógio no meio.
Manter as janelas e persianas fechadas nas horas mais quentes do dia ajuda a manter o calor do lado de fora.

No fim do dia, se as temperaturas já estiverem mais baixas, você pode abrir a casa novamente para trocar o ar. Se você tiver sorte de estar batendo um ventinho, agradeça, porque às vezes é só um bafo morno que entra, mesmo. 😛

Durante a noite, você pode deixar algumas janelas semiabertas, exceto a do quarto. É que isto pode atrapalhar a qualidade do seu sono, por conta do barulho da rua e do excesso da claridade (lembre-se que, em pleno auge do verão, as noites têm no máximo 6h de escuridão e precisamos de 8h de sono). Então, uma dica é dormir com a porta do quarto aberta e deixar o ar mais fresco da noite circular pela casa através das janelas de outros cômodos, como sala ou banheiro, por exemplo.

Portas de sacada semiaberta, com persianas por fora, também semiabertas, relógio ao meio.
Durante a noite, é possível deixar algumas janelas semiabertas para o ar fresco entrar.

3. Traga lençóis finos do Brasil.

Como já explicado no item anterior, as casa alemãs são preparadas para acumular e segurar o calor recebido do sol durante o dia. Então, por mais que você abra janelas à noite, o ar quente demora para ir embora. Por isso, o ideal é ter um leçol fino para se cobrir, também chamado de sobre-lençol.

O problema é que ainda não encontrei este tipo de lençol para comprar aqui em Stuttgart. (Se alguém que mora aqui souber onde comprar e puder informar nos comentários, serei muito grata). Eu não trouxe roupas de cama do Brasil, pois já sabia que a medida das camas aqui é diferente e os lençóis de elástico não iriam caber. Só que agora o lençol fininho está fazendo falta…

4. Evite tomar sol entre 10h e 16h.

Não negligencie o sol. Lembre-se que está fazendo tanto calor quanto no Brasil e, portanto, vale a mesma recomendação de evitar os horários de sol a pino. Se sair nesses horários for inevitável, procure proteger-se na sombra.

Pasto gramado com algumas árvores e vacas pastando à sombra.
Se possível, faça como estas vaquinhas, ande pela sombra. 😉

5. Use boné ou chapéu e óculos escuros.

O sol direto na cabeça e nos olhos pode causar dores de cabeça, tontura e enjoo. Principalmente nos horários mais quentes e exposições por períodos mais longos ao sol, use sempre óculos de sol e proteja a cabeça usando boné ou chapéu.

Jovem com roupa esportiva, usando boné e óculos escuros, dando joinha e sorrindo.
Proteger a cabeça e os olhos ajuda a evitar insolação.

6. Use protetor solar.

Já falei, mas é sempre bom repetir: leve o sol a sério. Não é porque você está na Europa que o sol não queima. Não saia de casa sem protetor solar, mesmo nas horas menos quentes do dia, principalmente se a sua pele for clara. Eu caminho no parque sempre por volta das 8h da manhã e já foi o suficiente para ficar com marcas de sol. E olha que minha pele nem é das mais sensíveis…

Protetor solar para o rosto e protetor solar para o corpo.
Lembre-se de usar protetor solar sempre.

7. Compre um bom ventilador.

A maioria das casas não possuem ar-condicionado e, em algumas delas, não é sequer permitido instalar. Eles alegam que o buraco na parede pode afetar a estrutura da casa ou as camadas do isolamento térmico. Portanto, um bom ventilador é item de necessidade básica para enfrentar o verão alemão. Em alguns dias, talvez nem o ventilador seja suficiente, pois ele só irá espalhar um vento abafado.

Ventilador de pé ligado.
Um bom ventilador pode fazer toda a diferença para suportar a onda de calor.

Uma alternativa, nos casos em que nem o ventilador der conta, é comprar um ar-condicionado portátil (procure por Mobile Klimaanlage). Eles costumam ser bem caros, mas podem valer a pena, dependendo do seu nível de desconforto com o calor. Também é preciso prestar atenção na hora de comprar, se eles são do tipo que tem reservatório, ou do que tem uma mangueirinha para eliminar a água gerada pela condensação.

8. Refresque-se na Freibad, no Biergarten ou no Eiscafé.

Se as altas temperaturas na Alemanha podem pegar alguns brasileiros de surpresa, pelo menos não faltam opções para se refrescar. Para começar, em várias cidades e bairros existem as “Freibad”, que são piscinas públicas, e que geralmente também têm banheiros e vestiários. É tipo um clube, só que você não precisa ser sócio para usar e paga um preço bem baratinho cada vez que entrar. As “Freibad” costumam estar lotadas ao longo de toda a primavera e verão.

Fachada da Hallenbad, em Sonnenberg, Stuttgart.
A Freibad é uma opção para quem deseja se refrescar no verão.

Mas se água e multidões não são muito a sua praia, também existem diversos “Biergarten”, onde você pode sentar ao ar livre, na sombra de um guardassol e tomar uma bebida bem gelada. Outra atração bem popular do verão alemão são os “Eiscafé”, que servem sorvetes deliciosos, refrescantes e baratinhos. Seja qual for a sua preferência, aproveite para apreciar um pouco das coisas boas que o verão também proporciona. 😉

Fachada de uma sorveteria, na Alemanha conhecida como Eiscafé.
Sorvete: um dos jeitos mais deliciosos de enfrentar o calor na Alemanha.

Para quem vive no Brasil, muitas destas dicas podem parecer óbvias. Mas é aí que mora o perigo. Justamente por pensar que estamos no extremo hemisfério norte, onde os invernos costumam ser mais intensos, muitas pessoas pensam que o verão será mais ameno e acabam negligenciando os efeitos que o calor e o excesso de sol podem causar à saúde.

Porém, não se deixe enganar por essa falsa impressão. Nunca se falou tanto em aquecimento global. Os verões curtos e amenos da Europa talvez até já tenham sido verdadeiros, em algum ponto muito distante do passado. Mas, hoje em dia, não é mais assim. Como diz essa matéria: a “Europa pode não ter saída, a não ser se adaptar ao calor”.

Portanto, não se esqueça de seguir as dicas deste post, além de manter os mesmo cuidados aos quais já estava acostumado no verão brasileiro. Prevenir nunca é demais. 😉

1. A maior temperatura já registrada na história da Alemanha foi de 40,3°C, em Kitzingen, em 2015. Fonte: Spiegel.de
2. Sobre beber água da torneira: aqui em casa nós bebemos, mas é por nossa conta e risco. Se quiser saber mais sobre a água na Alemanha, leia este post.

 

Autor: Gabriele Tschá

Deixe seu comentário

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com