Desde os século XIX, cerca de 250 mil alemães escolheram criar raízes no Brasil. De fato, os imigrantes alemães representam mais ou menos 5% de todos os que vieram morar no país.

No entanto, ao se estabelecerem em terras brasileiras, os imigrantes alemães constituíram grandes famílias. Como resultado, estima-se que existam cerca de 5 milhões de brasileiros com sangue alemão vivendo no país. Atualmente, é comum cidadãos brasileiros buscarem a cidadania alemã. Para isso, buscam por seus antepassados alemães. Aliás, se você está aqui, provavelmente também está curioso para saber isso. Então, veja como encontrar esses dados importantes para conseguir a cidadania alemã. Para começar, veja instituições brasileiras que podem te ajudar a encontrar dados de registros de seus antepassados. Em seguida, você vai encontrar o caminho inverso. Caso já saiba de onde sua família vem, você pode solicitar informações junto aos órgãos alemães.  

Pesquisa e reunião de dados para cidadania alemã

Para encontrar antepassados alemães no Brasil e requerer a cidadania alemã existem alguns caminhos. No entanto, nos séculos passados, registros não eram obrigatórios. Por isso, o caminho pode ser longo. Mas, confira a seguir algumas fontes de informações oficiais que te ajudarão nessa busca.

1.   Representações alemãs no Brasil

De acordo com o site oficial das representações diplomáticas alemãs no Brasil, não existem registros genealógicos, nem na Alemanha e nem no Brasil, de imigrantes que se instalaram no país. As representações alemãs, porém, guardam dados chamados de listas de matrícula. Ou seja, cidadãos alemães que entraram no Brasil entre os anos de 1869 e 1941, que fizeram algum tipo de registro junto ao consulado, podem estar nessa lista. Então, para conferir se possui antepassados alemães você deve procurar no site oficial.

2.   Arquivo Nacional

Por outro lado, existem inúmeros imigrantes dos quais se sabe muito pouco. Na verdade, pode ser que você não saiba dados exatos. A cidade de onde partiram ou data de chegada ao Brasil, por exemplo. Nesse caso, entre em contato com o Arquivo Nacional. O órgão guarda informações que podem ajudar.

Arquivo Nacional

Coordenação de Atendimento a Distância

Praça da República, 173, Rio de Janeiro – 20211-350

Telefones de contato: 21 2179 -1304 / 2179 -1257

Ou entre em contato pelo e-mail consultas@arquivonacional.gov.br

3.   Museu da Imigração do Estado de São Paulo

Inicialmente, o local foi fundado para dar apoio e abrigo aos imigrantes em 1887. Com o tempo, o local se tornou um museu. Hoje, ele possui um grande acervo digital. Assim, você pode encontrar no Museu dados de pessoas que passaram pela hospedaria. Da mesma época, você encontra Listas de Bordo, com registros de imigrantes que desembarcaram em solo brasileiro entre os anos de 1888 e 1965. Ou então, Cartas de Chamada, documentos que garantiam apoio aos imigrantes que decidissem se reunir com a família que já se instalara no Brasil. Além disso, o museu guarda fotos, cartas e cartões postais deixados pelos imigrantes. Por isso, pode ser que você encontre alguma informação por meio do acervo.

Memorial do Imigrante

Rua Visconde de Parnaíba, 1316, São Paulo – SP / 03164-300

Página inicial – Museu da Imigração (museudaimigracao.org.br)

1.   Instituto Genealógico do Rio Grande do Sul

Se seus antepassados alemães chegaram na região do sul, porém, a melhor ideia talvez seja procurar pelo Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Atualmente, o local disponibiliza cerca de 15 mil nomes e dados de imigrantes. As informações datam do período entre os anos de 1824 e 1993.

Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul (ihgrgs.org.br)

2.   Arquivo Público do Estado do Espírito Santo

Em 1908, foi fundado o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo. Ainda hoje, ele reúne registros do início do século passado. Atualmente, grande parte da informações estão disponíveis em formato digital. De fato, essa atualização foi muito útil. Afinal, a maior parte das pesquisas realizadas é sobre a imigração e genealogia.

APEES

Rua Sete de Setembro, 414, Vitória – ES / 29001-970

Telefone de contato: 27 3223 – 7524

http://imigrantes.es.gov.br/

Como encontrar dados de antepassados alemães na Alemanha

Por outro lado, você pode começar a busca pela outra ponta desse fio. Ou seja, encontrar as origens e refazer o percurso da sua família até o Brasil. Nesse caso, o ideal é que você entre em contato com prefeituras ou cartórios locais. Aliás, também é comum que as paróquias das cidades de origem dos imigrantes guardem registros dos anos anteriores a 1876. No entanto, sempre pergunte sobre o processo e se é preciso pagar alguma taxa pelos serviços. Além disso, é bom que você fale alemão ou inglês ao entrar em contato.

Arquivos Estaduais da Cidade de Hamburgo

A cidade de Hamburgo possui uma excelente rede de informações e presta serviços de pesquisas. No entanto, lembre-se de que esses serviços são pagos. No projeto Link to Your Roots, você pode ter acesso a listas de passageiros e outras informações importantes.

Staatsarchiv der Freien und Hansestadt Hamburg

Kattunbleiche 19, 22041 Hamburg

Tel.: (+49) 40 – 42831-3200

Fax: (+49) 40 – 42831 – 3201

Ou entre em contato pelos e-mails: poststelle@staatsarchiv.hamburg.de

info@linktoyourrouts.com

Câmara do Comércio de Bremen

A Câmara do Comércio de Bremen possui arquivos de imigrantes que deixaram a cidade. Assim, você pode pesquisar pelo sobrenome de seu antepassado.

http://db.genealogy.net/maus/gate/index.php

Arquivos Estatais da Baixa Saxônia

No link abaixo, você encontra os primeiros passos para a pesquisa.

http://app.staatsarchive.niedersachsen.de/findbuch

Por fim, para encontrar endereços de cidades alemãs, você pode entrar no site www.meinestadt.de .

Já encontrei os dados de meus antepassados – E agora?

O primeiro passo é preencher um questionário da Representação Alemã no Brasil. Aliás, mesmo sem o registro de seu antepassado nos arquivos oficiais, o órgão informa que outros documentos podem ser utilizados. Comprovantes de viagens de retorno ao país, passaporte alemão e certificado de cidadania alemã, por exemplo.

Para concluir, a Representação Alemã fornece o passo a passo a ser seguido.

Gostou? Escute nosso Podcast para entender melhor a rotina e o cotidiano da vida na Alemanha. Para isso, clique aqui.